Jornal Mineiro de Psiquiatria

                                         

Avó mata neto de 5 anos com golpes de faca
Segundo parentes, acusada sofre de problemas psiquiátricos

Eugenio Martins, O Tempo de 27/07/2009
No Dia da Avó, comemorado ontem, um crime bárbaro chocou a cidade de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte. Uma doméstica de 49 anos matou, a facadas, o neto de 5 anos que dormia no sofá. M.C.S, que sofre de problemas psiquiátricos, afirmou à Polícia Militar que cometeu o crime porque a mãe dava mais atenção à vítima do que ao outro filho dela, de 7 anos, que "é moreno".

O caso aconteceu no bairro Conjunto Caieiras, no fim da noite de sábado. Segundo a PM, M.C.S. matou o neto com facadas no peito e no pescoço.

O menino, que morava em Venda Nova com a mãe, passava as férias escolares na casa da avó materna, junto com o irmão mais velho. A mãe das crianças, Josie dos Santos, 29, contou à polícia que deixou os filhos com a mãe por poucos minutos para ir a uma mercearia.
O filho mais velho dormia com M.C.S. na cama, e Gabriel estava no sofá. Quando retornou à casa, Josie já encontrou o garoto inconsciente, todo ensanguentado. Os bombeiros foram acionados, chegaram a levar o menino para uma unidade de pronto-atendimento, mas ele já chegou sem vida ao local.

A faca, de 15 centímetros, foi encontrada debaixo da mesa da cozinha.

Moita. De acordo com o cabo Mauro Nascimento, quando a PM chegou ao local, a avó das crianças estava escondida atrás de uma moita nos fundos do quintal da casa. Segundo o militar, ela confessou o crime e deu outra justificativa ainda mais implausível para o assassinato. "Disse que matou porque tinha medo que, se a vítima dormisse na cama com ela, quando crescesse poderia querer matá-la".

Segundo parentes, M.C.S. apresenta problemas psicológicos. Ela havia recebido alta há poucos dias de um hospital psiquiátrico.

Ainda com manchas de sangue na roupa, a doméstica afirmou à reportagem de O TEMPO que cometeu o crime por Justiça e que não se arrependia do assassinato. Ela foi presa e levada para a Delegacia Regional de Vespasiano, no bairro Jardim da Glória. No início da tarde de ontem, foi transferida para o Ceresp na avenida Afonso Pena, no centro da capital.

O delegado de plantão, Gilmar de Jesus Arcanjo, afirmou que a doméstica foi autuada por homicídio e que um exame de sanidade mental deverá ser solicitado. Segundo ele, a mãe da criança também pode responder por negligência, por ter deixado os filhos aos cuidados de uma pessoa com problemas psiquiátricos.

O corpo de Gabriel deve ser sepultado hoje no cemitério de Vespasiano.

O que a avó disse:

"Matei porque a mãe
dava mais atenção
a ele do que ao
outro filho, que
é moreno"

"Ele (a vítima) estava
deitado no sofá. Dei a
primeira facada no lado
direito do peito, depois
no esquerdo"

"Vi que estava sofrendo e
cortei o seu pescoço. Não
me arrependo do que fiz"

 

Voltar